Eco-ansiedade: as mudanças climáticas afetam mais do que você imagina | Simple Organic Pular conteudo

Eco-ansiedade: as mudanças climáticas afetam mais do que você imagina

Eco-ansiedade e as mudanças climáticas

As mudanças climáticas são realidade, os recentes incêndios florestais na Califórnia e na Austrália, as chuvas intensas, enchentes e até mesmo tsunamis, estão aí pra comprovar isso. Os desastres naturais, além de afetarem o planeta, também podem ser um peso para a mente de milhões de pessoas que sofrem de ansiedade, depressão e até mesmo estresse pós-traumático, ao se deparar com os alarmantes dados do aquecimento global. É daí que vem o termo eco-ansiedade

“Eco-ansiedade é o medo crônico de sofrer um cataclismo ambiental que ocorre ao observar o impacto, aparentemente irrevogável, das mudanças climáticas gerando uma preocupação associada ao futuro de si mesmo e das gerações futuras”. - American Psychology Association (APA)

Apesar de ainda não ser considerada oficialmente uma doença, a eco-ansiedade é real, e ela afeta principalmente as gerações mais novas, que temem pelo seu futuro diante da crise climática, e também de pessoas que enxergam o problema atualmente, mas que carregam o sentimento de culpa por ter tido postura passiva em relação ao aquecimento global. 

Quais fatores podem desencadear a eco-ansiedade?

Enchentes e alagamentos, incêndios florestais, aumento dos níveis de água, poluição dos oceanos, desmatamento, consumo desenfreado de plástico e materiais "descartáveis", falta de políticas de reciclagem, exploração de recursos naturais, escassez de água, perda da diversidade, consumo desenfreado de carne, dentre outros. 

Estudos comprovam ainda que, os índices de pessoas que sofrem de eco-ansiedade tendem a aumentar conforme a ocorrência de problemas ambientais futuros. 

Sintomas da eco-ansiedade

Depressão, sentimento de culpa, nervosismo, síndrome do pânico, paranóia, insônia e crises de ansiedade acompanhadas de sensação de asfixia e palpitações podem acompanhar a eco-ansiedade. Portanto, é uma condição que deve ser levada a sério e tratada como qualquer outro transtorno de ansiedade. 

Consciência ambiental X saúde mental

A ansiedade pelos eventos climáticos é embasada em fatos e notícias que aparecem nos nossos celulares, televisões e computadores diariamente. Como podemos evitar que estes eventos tomem conta da nossa saúde mental?

É claro que ter consciência ambiental é fundamental. Não podemos ignorar o que acontece no planeta e devemos sim ter preocupação com o futuro da nossa geração e das futuras que estão por vir. Mas, tão importante quanto isso, é entender que a preocupação excessiva faz igualmente mal, e deve ser controlada visando o bem da sua saúde mental.

Formas de combater a eco-ansiedade

  1. O primeiro passo é entender que estes eventos não podem ser controlados por você. Sem sentimento de impotência e culpa por aqui, ao invés disso, tente pensar em "como eu posso ajudar?". No caso de enchentes, por exemplo, é super comum encontrar vaquinhas de doação às vítimas. Ajude desta forma ao invés de se punir por aquilo que não pode controlar. 
  2. Busque ajuda. Apesar de ser um problema grave e real, você não deve passar por isso sozinho. A terapia vai ser sua melhor amiga pra te ajudar a encarar essa realidade de outra forma, controlar seu sentimento e quem sabe até ajudar outras pessoas com a mesma condição que você. 
  3. Ajude a solucionar: não pense que só você não vai dar conta de mudar o mundo. Toda ação individual é bem-vinda e pode servir de inspiração para uma mudança coletiva. Se seu condomínio não recicla o lixo, por que você não institui uma campanha de reciclagem? Converse com seus pais e avós de forma que eles também entendam os problemas que o planeta está passando para que eles também tomem atitudes a respeito. É clichê mas é verdade, de pouquinho em pouquinho a gente vai conscientizando todo mundo. 

Como posso fazer a minha parte?

  • Consumo consciente: escolha seus produtos por motivos além do preço. Opte, sempre que possível, por opções naturais, veganas, orgânicas e sustentáveis. Opte por bens duráveis. Busque saber como funciona a cadeia de produção daquele produto. A empresa compensa o carbono? Usa alternativas ao plástico nas embalagens? Como ela trata os trabalhadores de todos os setores? Ela possui sistema de logística reversa de embalagens?
  • Reduzir o consumo de carnes e produtos de origem animal. Você já sabe que a indústria pecuária é insustentável para o planeta, sem falar nos terríveis maus tratos. Bora incentivar os amigos a mudar o cardápio do churrasco do fim de semana?  
  • Substitua os itens do dia a dia por opções sustentáveis. É aquilo que você já sabe, eco bag no lugar das sacolinhas plásticas, use sua própria garrafa de vidro ou térmica, escova de dente de bamboo ou bioplástico ao invés das tradicionais, leve seu potinho de vidro à compras a granel, e por aí vai;
  • Converse com todo mundo ao seu redor. É maravilhoso ter consciência ambiental, mas de nada adianta você fazer todos os itens citados acima e o coleguinha do seu lado não estar nem aí para o planeta. Sempre terão pessoas mais cabeça dura ou mesmo negacionistas quanto a questão ambiental. É seu papel mostrar para esta pessoa a situação que estamos encarando. 

Você já conhecia a eco-ansiedade? Acha que pode estar passando por isso? Estamos abertas pra conversar com você <3 Pode contar com a gente! 

1 comentários

Sou Ana psicanalista e trabalho com a clínica da ansiedade. Faço parte do ITO Instituto de Terapia Online, recém discutimos a respeito da Inteligência Artificial, e refletir a respeito da Ecoansiedade, tem tudo haver. Muito legal, trabalho 100% online em home office com gente. O meu nicho é ansiedade! Interessante associar ecoansiedade, muito pertinente gostaria de saber mais. Obrigada Ana🦉

Ana Maria Romao

Deixe um comentário

CATEGORIAS