Entenda a importância do Dia Internacional da Igualdade Feminina | Simple Organic Pular conteudo
CATEGORIAS





26 de agosto: entenda a importância do Dia Internacional da Igualdade Feminina

O que é o Dia Internacional da Igualdade Feminina?

O Dia Internacional da Igualdade Feminina foi implementado pelo Congresso dos Estados Unidos, no dia 26 de agosto de 1973, em homenagem à data de aprovação da emenda que permitiu o voto às mulheres. A data tem como intuito celebrar e trazer visibilidade às questões de equidade de gênero, e a importância do papel da mulher na sociedade contemporânea.

Apesar dos avanços desde então, ainda temos um longo caminho para traçar até que a igualdade de gênero seja alcançada na sociedade. Vem entender tudo sobre o movimento que deu origem a luta feminista, os avanços que já tivemos na sociedade desde então, e todo o caminho que ainda temos a traçar.  

Movimento sufragista: o início da luta

Foto: Expedição Oriente/Reprodução

A conquista do voto, e de diversos outros direitos da mulher, só foi possível graças ao movimento sufragista ao redor do mundo. O movimento surgiu no século XIX com o propósito de lutar pela participação feminina na política, implicando que as mulheres tivessem o direito de votar, e também de ser votadas.

DIA INTERNACIONAL DA IGUALDADE FEMININA: CONHEÇA ATIVISTAS QUE LUTAM PELO DIREITO DA MULHER

As sufragistas, mulheres que faziam parte do movimento, argumentavam que se elas eram aptas para prestar serviços que exigiam extrema responsabilidade, também seriam capazes para participar da política. 

sufrágio feminino ganhou força ao redor do mundo inteiro, até que vários países fizeram alterações em suas respectivas legislações, e passaram a inserir a mulher na política, e em mais formas ativas dentro da sociedade. 

Dia Internacional da Igualdade Feminina: o cenário brasileiro

Jornal de 1924 mostra opiniões do Senado sobre o sufrágio feminino. Foto: Poder 360.

O movimento sufragista só veio a ganhar força no Brasil durante o século XX. Em 1910, foi fundado o Partido Republicano Feminino, pela professora baiana Leolinda Daltro, e doze anos depois, Bertha Lutz inaugurou a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino.

Foi há pouco menos de 60 anos, lá em 1934, que o direito ao voto foi concebido às mulheres, e apenas em 1946 que o voto feminino foi declarado obrigatório, assim como o masculino. 

Alzira Soriano, primeira prefeita do Brasil. Foto: Mundo Educação

De lá pra cá, ainda vemos heranças de uma sociedade patriarcal no que diz respeito às desigualdades entre o homem e a mulher. 

Confira alguns dados sobre a participação da mulher no mercado de trabalho brasileiro
  • Dados atuais da Bain & Company afirmam que apenas 3% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres;
  • O Brasil é o segundo país da América Latina com menos mulheres em cargos de alta gerência;
  • De acordo com levantamento da Hays Executive, 55% das mulheres em cargos nível 1 têm idade entre 51 e 60 anos, enquanto a maioria dos homens têm entre 41 e 50 anos;
  • Se seguíssimos no ritmo atual, seriam necessários 59 anos para eliminar as desigualdades de gênero no Brasil;
  • Desigualdade salarial: mesmo realizando as mesmas funções que o homem no mercado de trabalho, a mulher pode ganhar até 30% a menos. Essa diferença dispara ainda mais quando se refere às mulheres negras.
  • Dados trazidos pelo SEBRAE, de 2019, apontam que mulheres donas do próprio negócio recebem 22% a menos que os homens. 
Manifestação no Rio de Janeiro contra a violência de gênero na América Latina. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Dia Internacional da Igualdade Feminina: a luta continua 

O Dia Internacional da Igualdade Feminina não serve apenas para comemoração, ele é um lembrete do longo caminho que ainda temos a percorrer. 

Cobre dos políticos que tenham mulheres trabalhando nas suas campanhas e equipes, cobre das empresas que paguem as mulheres o mesmo que pagam aos homens, escute as mulheres ao seu redor, dê chances, oportunidades, eduque-se. Lute ao lado das mulheres para dar seu merecido espaço.   

Foto: Elineudo Meira

 

DIA INTERNACIONAL DA IGUALDADE FEMININA: SIMPLE ORGANIC POSSUI TIME COM 72% DE MULHERES

A Simple Organic foi fundada em 2017 por Patrícia Lima, que encontrou seu propósito ao virar mãe: levar sustentabilidade à geração da sua filha. 

De lá pra cá foram inúmeras conquistas e transformações dentro da marca: um portfólio de produtos cada vez mais extenso, lojas por todos os cantos do Brasil, linhas assinadas com influenciadores digitais, a primeira loja de autoatendimento de Clean Beauty da América Latina, participação em fashion weeks, em festivais de música, e até mesmo expansão internacional, com a marca já atuando nos Estados Unidos. Entre tantas mudanças e conquistas, uma coisa permanece a mesma: a presença feminina. 

Desde a sua fundação, a Simple Organic conta com um time majoritariamente formado por mulheres em todos os setores da marca. 

Atualmente:

72% de mulheres no time;
68% de mulheres na liderança;
60% de mulheres no conselho de administração. 

A Simple Organic reconhece que um time formado por mulheres é um time criativo, determinado e necessário. A força feminina da Simple percorre todas as nossas ações e posicionamentos enquanto marca.

Aqui, sabemos a importância da representatividade feminina, de investir em mulheres, dar espaço às mulheres e lutar pela ainda distante igualdade entre os gêneros. 

E aí, você já conhecia o Dia Internacional da Igualdade Feminina? Tem alguma informação sobre o tema que gostaria de compartilhar? Conta pra gente nos comentários! 
Fontes: Dia Internacional da IgualdadeDia Internacional da Igualdade Feminina: veja a importância da dataDia Internacional da Igualdade Feminina, qual a situação do Brasil?; Movimento sufragista: o que foi e qual o impacto no Brasil?

Deixe um comentário